Newsletter

X
Digite seu email no campo abaixo e cadastre-se para receber nossas notícias.
Cadastrar

MAS SÃO PAULO

Secretaria da Cultura

Nossas Exposições

Recolhimento da Luz, Benedito Calixto (1853-1927), óleo sobre tela, séculos XIX/XX.

Aparecida do Brasil


Duração:
21 setembro 2017 - 19 novembro 2017

MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO PROMOVE EXPOSIÇÕES EM HOMENAGEM AOS 300 ANOS DE DEVOÇÃO À NOSSA SENHORA APARECIDA

"Aparecida do Brasil" entra em cartaz na Sala MAS - Metrô Tiradentes e apresenta o olhar do fotógrafo oficial da basílica sobre o Santuário e os devotos

O Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, exibe "Aparecida do Brasil", em parceria com o Museu Nossa Senhora Aparecida – Santuário Nacional de Aparecida, com curadoria de Cesar Augusto Bustamante Maia. Composta por 16 imagens feitas por Thiago Leon, a exposição acontece na Sala MAS - Metrô Tiradentes e homenageia os 300 anos de devoção à Nossa Senhora Aparecida, por meio de fotografias que retratam os devotos e o Santuário Nacional de Aparecida. 

Impressionado com a fé das pessoas, o fotógrafo oficial do Santuário Nacional de Aparecida Thiago Leon se emociona a cada clique. "Isso me toca muito (...). São milhões de pessoas com seus desafios, buscando inspirações nas coisas do céu. Isso me motiva a quebrar barreiras pessoais e me aproximar mais dos devotos e saber por que eles estão aqui." Essas imagens nos introduzem ao espírito iconográfico de Cláudio Pastro – artista convidado para finalizar a basílica, no final da década de 1990, com afrescos nas paredes que, de forma contemporânea, retratam o mistério da fé revelado aos homens por Jesus e que expressam, em linhas e cores, o transcender da alma. Neste sentido, sobre a basílica nova, o curador Cesar Augusto Bustamante Maia comenta: "O espaço sagrado transmite a história da salvação em seus corredores. Já o baldaquino nos apresenta o simulacro da fauna e da flora brasileira, resgatando a brasilidade e preservação da vida em sua arte sacralizante. Envolvendo-nos a esse universo de testemunho da fé de um povo que sofre e, contudo, espera em Deus, com a intercessão da Aparecida do Brasil".

Em "Aparecida do Brasil", além das fotografias, o espectador também terá a chance de encontrar fragmentos arquitetônicos da basílica velha e protótipos do novo Santuário, os quais demonstram as transformações artísticas ocorridas no templo desde o estilo barroco até o contemporâneo sacro. 

Ultrapassando as fronteiras do nosso país, a devoção à Nossa Senhora Aparecida se espalha ao redor do mundo ao longo de três séculos. "Hoje, aqueles que passam pelo Santuário, ou que acompanham a sua vida pelos meios de comunicação, são pescados, como os três pescadores, por Maria, e com ela são chamados a reconstruírem vidas em Cristo", comenta o Prefeito de Igreja do Santuário Nacional de Aparecida, Pe. Rodrigo Arnoso, C.Ss.R.?

Sobre a descoberta da imagem de Nossa Senhora Aparecida

Em outubro de 1717, três humildes pescadores receberam a incumbência de buscar peixes para o Conde de Assumar, governador da capitania de São Paulo e das Minas Gerais. Depois de tanto navegar e sem êxito na pescaria, os três trabalhadores do povoado do Itaguaçu lançaram pela última vez as suas redes, quando notaram que uma delas pesava - para surpresa dos pescadores, surgia do fundo do rio um corpo de imagem, o qual foi recolhido com respeito e veneração. Em outro lançamento da rede, pescaram a cabeça. Corpo e cabeça da imagem da Imaculada Conceição, devotamente chamada Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Após o encontro da imagem, as redes se encheram de peixes e, com este milagre, se dá início aos 300 anos de devoção à Santa padroeira do Brasil. Nas palavras de Cesar Augusto Bustamante Maia: "Surgida das águas, símbolo do Batismo cristão, abraçou o Brasil de norte a sul, congregando milhões de devotos que peregrinam em busca de colo materno: consolo, graça, milagre e gratidão". 

Exposição: “Aparecida do Brasil
Curadoria: Cesar Augusto Bustamante Maia
Fotografia: Thiago Leon
Acervo: Museu Nossa Senhora Aparecida
Abertura: 21 de setembro de 2017, quinta-feira, às 11h
Período: 22 de setembro a 19 de novembro de 2017
Local: Sala MAS - Metrô Tiradentes - www.museuartesacra.org.br
Estação Tiradentes do Metrô - São Paulo/SP
Tel.: (11) 3326-5393 – agendamento/ educativo para visitas monitoradas
Horário: Terça a domingo, das 9h às 17h
Técnica: Fotografia
Número de obras: 16
Ingresso: Grátis aos usuários do Metrô 

Imprensa: 
Museu de Arte Sacra de São Paulo
Silvia Balady – silvia@balady.com.br / Zeca Florentino – zeca@balady.com.br
Tel.: (11) 3814-3382 

Secretaria de Estado da Cultura
Gisele Turteltaub - Tel.: (11) 2627.8162 - gisele@sp.gov.br
Viviane Ferreira - Tel.: (11) 3339.8243 - viferreira@sp.gov.br

Arquidiocese de São Paulo
Rafael Alberto (11) 95331-1131 | 98492-1111
imprensa@arquidiocesedesaopaulo.org.br
imprensa.arquisp@gmail.com

Cesar Augusto Bustamante Maia (Aparecida/SP, 1950)
Graduado em Pedagogia, residiu no Rio de Janeiro/RJ entre 1977 e 1990, onde fez cursos relacionados à museologia e paisagismo na Fazenda Santa Cruz, ministrado por Burle Marx. Exerceu o cargo de projetista de interiores e projetos de instalações civis durante 17 anos. Ao retornar à Aparecida/SP, por sua experiência em museologia, foi contratado para executar o primeiro tombamento do acervo do Museu Nossa Senhora Aparecida – Santuário Nacional. Criou em 1998 o Museu Redentorista no Memorial da Congregação do Santíssimo Redentor – Província de São Paulo. Em 2000, foi nomeado por Dom Aloísio Lorscheider, perito da Comissão dos Bens Culturais e Históricos da Arquidiocese de Aparecida. Em 2008 criou o Museu Municipal da cidade de Aparecida/SP, em homenagem ao Professor e Historiador José Luiz Pasin. No ano de 2013, retornou como curador do Museu Nossa Senhora Aparecida – Santuário Nacional.

Thiago Leon (Guaratinguetá/SP)
Sua primeira experiência com a fotografia foi no “quintal” de sua casa, em Guaratinguetá, São Paulo. As pessoas, as casas, as ruas, foram cenários importantes para sua experiência fotográfica. Com formação acadêmica concluída, enriqueceu seu conhecimento em fotojornalismo, ampliando seu olhar, desenvolvendo uma linguagem mais apurada de suas imagens e permitindo a si mesmo um envolvimento mais profundo para compreender o ser humano, suas manifestações culturais e religiosas. Depois de um período cobrindo pautas jornalísticas na cidade de Aparecida, São Paulo, desenvolveu um olhar criterioso, sensível e íntimo ao Santuário Nacional, tornando-se naturalmente o Fotógrafo Oficial. 


MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO
Lqdi